O Rio Grande do Sul precisa de ajuda!

Como apoiar e medidas de prevenção à saúde

O estado do Rio Grande do Sul está passando por uma grave situação de emergência climática, em decorrência das fortes chuvas que assolaram a região nos últimos dias. Com o avanço das mudanças climáticas, eventos extremos passam a ser cada vez piores e mais frequentes.

Imagem destaque sobre o artigo SOS Rio Grande do Sul – Como apoiar e medidas de prevenção à saúde

Nesse breve guia buscamos trazer informações sobre:

Como apoiar a população afetada

Cuidados com a Saúde e Segurança em Meio a Enchentes

Dicas de segurança para quem está nas regiões afetadas

Como apoiar a população afetada

Nesse momento de emergência, a solidariedade é essencial para que as pessoas afetadas consigam retomar suas vidas. Abaixo consta uma lista de nossas unidades que se tornaram ponto de arrecadação de doações para a região.

Para nossos colaboradores corporativos, as ações de arrecadação estão acontecendo em São Paulo (SP), Valinhos (SP), São José dos Campos (SP) e Londrina (PR).

Rio de Janeiro

  • Red Balloon – Barra Jardim Oceânico (Franquia): Av. Olegário Maciel, 531 Lojas 114 a118 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ, 22621-200. [como chegar]
  • Red Balloon – Barra Blue Square (Franquia): Lojas 105 e 106 – Av. das Américas, 12600 – bloco 3 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ, 22790-702. [como chegar]
  • Red Balloon – Bosque da Barra (Franquia): R. Vilhena de Morais, 199 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ, 22793-140. [como chegar]
  • Red Balloon – Jacarepaguá (Franquia): Estr. do Pau-Ferro, 743 – Jacarepaguá, Rio de Janeiro – RJ, 22271-021. [como chegar]

Rio Grande do Sul

  • Anhanguera Alvorada: Rua Ary Dias Dhil, 69, bairro Sumaré. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h30
  • Anhanguera Caxias do Sul: Avenida Alexandre Rizzo, 505, Desvio Rizzo – Sala 01. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h
  • Anhanguera Passo Fundo: Rua Paissandu, 1200 – Sala 01, centro. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h
  • Anhanguera Pelotas: Avenida Fernando Osório, 2301, bairro Três Vendas. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h
  • Anhanguera Porto Alegre: Avenida Cavalhada, 4890, bairro Cavalhada. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
  • Anhanguera Rio Grande: Avenida Rheingantz, 91, bairro Navegantes. [como chegar]
    • Coleta de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

Em alguns estados, as agências dos Correios estão recebendo doações e enviando sem custo para as regiões afetadas. Clique aqui para saber mais.

Boas práticas para doações:

Imagem ilustrativa de indicação do "Número 1"

Avalie se os itens doados estão devidamente limpos e embalados.

Imagem ilustrativa de indicação do "Número 2"

Atenção ao prazo de validade! Confira se os produtos possuem período de consumo amplo (longe da data de validade).

Imagem ilustrativa de indicação do "Número 3"

Não doe itens abertos! Devido ao transporte e possível ausência de espaço para armazenamento, a integridade dos itens pode ser comprometida.

Imagem ilustrativa de indicação do "Número 4"

No caso de doação de sapatos, certifique-se que juntou os pares (ou com fitas ou em sacolas) isso evita que se percam no trajeto.

Cuidados com a Saúde e Segurança em Meio a Enchentes

Após desastres é crucial estar preparado e saber como agir para proteger a saúde, tais cuidados previnem o aparecimento de doenças que encontram um meio favorável ao seu aparecimento. Desastres naturais que envolvam enchentes e contato com água e lama potencialmente contaminadas, são, também, momentos em que o aparecimento de doenças como Leptospirose, Hepatite A e Doenças Diarreicas pode acontecer. Esteja sempre em alerta para possíveis sintomas e em caso de qualquer desconforto, procure apoio médico.

  • Via SMS: envie o CEP da sua localidade por SMS para o número 40199
  • Via WhatsApp: registre-se pelo telefone (61) 2034-4611, envie “Oi” para o atendimento automático e compartilhe sua localização

O que devo saber sobre estas doenças?

Leptospirose:

  • Descrição: Doença bacteriana presente na urina de ratos, podendo entrar no corpo humano por cortes na pele ou mucosas.
  • Boas Práticas: Cubra cortes com bandagens à prova d’água, evite andar descalço e use luvas e sapatos impermeáveis.
  • Evite: Contato ou ingestão de água potencialmente contaminada por enchentes. Caso tenha tido contato, lave mãos com água e sabão, evite contato de água contaminada no rosto (boca, nariz e ouvidos).

Hepatite A:

  • Descrição: Doença viral transmitida por água ou alimentos contaminados por esgoto humano, com período de incubação de 4 semanas.
  • Boas Práticas: Mantenha higiene adequada e desinfete objetos, bancadas e chão. Além disso, a vacina de Hepatite A está disponível no SUS, e excepcionalmente para situações de enchente, a aplicação da vacina em adultos será realizada dispensando a avaliação prévia junto ao CRIE, mantendo as indicações do Programa Nacional de Imunizações e os registros nos sistemas de informação vigentes.
  • Sintomas: Mal-estar, febre, náuseas, icterícia (pele e olhos amarelados).

Doenças Diarreicas:

  • Descrição: Causadas por bactérias, vírus e parasitas presentes em água ou alimentos contaminados.
  • Boas Práticas: Mantenha-se hidratado.
  • Evite: Consumo de água de fontes não confiáveis ou alimentos contaminados.
  • Sintomas: Diarreia (aquosa, com muco ou sangue), mal-estar, dor abdominal, náusea, vômito e febre.

Como tomar medidas de segurança?

Durante as inundações:

  • Se possível, use bota ou tênis com o cadarço ajustado bem firme aos pés. Nunca tente atravessar áreas inundadas, somente em situações extremas, pois existem buracos e bueiros sem tampas encobertos pela água;
  • Fique longe das correntes de água, pois ocorrem em grande velocidade e volume, e ainda carregam objetos que podem causar ferimentos;
  • Ande junto a muros e paredes, preferencialmente seguro por cordas ou sendo auxiliado por outras pessoas. A força das águas em locais inclinados é incontrolável;
  • Se for pego em uma correnteza, flutue com a barriga para cima e os pés a frente de forma a proteger a cabeça;
  • Evite ficar próximo de postes e linhas de transmissão caídas. Choque elétrico é o segundo maior causador de mortes durante as inundações. A eletricidade é transmitida facilmente pelas áreas alagadas.

Segurança próximo as áreas alagadas:

  • Se for seguro, permaneça em casa;
  • Esteja atento aos boletins meteorológicos e alertas de emergência;
  • Siga as instruções das autoridades locais e utilize as rotas de evacuação recomendadas;
  • Evite o deslocamento para regiões afetadas;
  • Se morar em área de risco, abandone o local com antecedência;
  • Separe os documentos importantes e embale-os em sacos plásticos;
  • Ao sair desligue a chave geral de eletricidade, água ou gás;
  • Evite atravessar as águas de carro ou a pé;
  • Se ficar isolado em local inseguro, chame o Corpo de Bombeiros (193);
  • Encha recipientes com água potável para uso em caso de interrupção no fornecimento.

O que fazer se estiver dirigindo durante uma inundação?

  • Não enfrente cursos d’agua com correnteza, pois você e seu veículo podem ser arrastados;
  • Caso seja surpreendido por uma inundação, fique atento ao nível de água observando os demais veículos;
  • Se o nível da água tiver ultrapassado o meio da roda, desligue o veículo, desça e, a pé, procure um lugar seguro para permanecer;
  • Se o nível da água tiver ultrapassado o nível da porta, desça pela janela do carro, suba ao teto do veículo e pegue um cinto de segurança para se segurar até a chegada do resgate;
  • Somente siga dirigindo, com a atenção redobrada, se o nível da água estiver abaixo do nível da roda.

Saiba quais cuidados tomar caso encontre com animais peçonhentos durante enchentes:

Em áreas alagadas é comum encontrar alguns animais peçonhentos como aranhas, escorpiões, serpentes e insetos. Evite o contato direto, mantenha a calma, afaste-se lentamente do animal e busque ajuda profissional.

Em caso de picada, procure atendimento médico imediato através do 192 e siga as instruções do profissional de saúde. Tente visualizar as características do animal, isso ajudará o profissional da saúde a determinar as condutas necessárias, lave o local da picada com água e sabão, e, se possível, mantenha a pessoa deitada e em repouso, até a chegada do socorro.
Importante, não faça torniquete ou garrote, não fure, corte, queime, esprema ou faça sucção no local da ferida.

A água baixou? Segue algumas medidas importantes que devem ser adotadas para realizar a limpeza da casa atingida pela enchente:

  • Uso de luvas, botas de borrachas ou outro tipo de proteção para as pernas e braços (como sacos plásticos duplos), para evitar o contato da pele com a água contaminada;
  • Descarte para a coleta pública tudo o que não puder ser recuperado e remova – com escova, sabão e água limpa – a lama que restou nos ambientes, utensílios, móveis e outros objetos da casa;
  • Jogue fora medicamentos e alimentos (frutas, legumes, verduras, carnes, grãos, leites e derivados, enlatados) que entraram em contato com as águas da enchente, mesmo que estejam embalados com plásticos ou fechados, pois, ainda assim, podem estar contaminados.
  • No caso dos utensílios domésticos (panelas, copos, pratos e objetos lisos e laváveis), lave-os normalmente com água e sabão. Depois, prepare uma solução desinfetante, diluindo um copo (200ml) de água sanitária (hipoclorito de sódio a 2,5%) em quatro copos de água (800 ml). Mergulhe na solução os objetos lavados, deixando-os ali por, pelo menos, uma hora.
  • Lave pisos, paredes, bancadas e quintal com água e sabão. Desinfete, em seguida, com água sanitária (hipoclorito de sódio a 2,5%) na proporção de 200 ml para um balde com 20 litros de água limpa, deixando agir por 30 minutos.

Fonte: Secretaria de Saúde Rio Grande do Sul - para maiores informações consulte o guia básico acessando o link: saude.rs.gov.br

Visualizador